Etiquetas

A palavra grega ἀποθήκη [apothêke] é uma dessas palavras que tem viajado por quase todas as línguas europeias. A palavra, procedente do grego clássico, tem evoluído e mudado a sua significação ao longo dos séculos.

A partir da forma latina apotheca, que mantém o significado original de ‘armazém’, as línguas europeias tomaram a dita palavra como parte do léxico primitivo e, nalguns casos, até entrou duas vezes (vejam-se os casos galego-português e espanhol mais adiante).

Com a ideia de armazém, como indicámos acima, passou a significar aliás o lugar onde se vende. Daí o francês boutique, que hoje é mais refinado que magasin, originariamente também ‘armazém‘. Porém, também o catalão tem a mesma significação para botiga, que, com formas semelhantes, se encontra também nalgumas línguas do norte da Itália. No entanto, o francês boutique procede do antigo occitano botica (daí a similitude com o catalão)

De armazém em geral passou para ‘armazém de medicinas’ e daí para ‘loja de medicinas’ em alemão Apotheke e também no espanhol sob a forma botica, ainda que nesta língua é um termo quase em desuso depois de ser reempraçado por farmacia. Porém, com a mesma significação do alemão, a apotheka encontra-se em muitas outras línguas, como o danês e sueco apotek, finês apteekki, bielorrusso e russo Аптэка, etc. No checo antigo existia mesmo apatyka, hoje lékárna, que de facto é parcialmente um decalque (= lék: ‘medicina’, -árna: ‘local de’, e daí kávárna ‘cafetaria’, továrna ‘fábrica’, etc.)

Ainda fica um outro grupo, o ibérico, onde aparece bodega em espanhol e adega em galego-português para fazer referência aos armazéns subterráneos onde se guarda o vinho e, por extensão, às reservas de vinho armazenadas.  Ademais, o armazém das naves recebe igualmente esse nome. É aqui na Península onde a palavra em questão mais se tem desenvolvido. Curiosamente em inglês esta palavra tem pouco percurso fora do galicismo boutique e do raro derivado apothecary, que vem a ser ‘farmacêutico’, procente do antigo francês apotecaire, com o mesmo significado, o qual vem a dar uma ideia donde procede a significação alemã atual.

Portanto, a partir da significação primária de ‘armazém’ passou-se à de armazém de medicamentos e posteriormente farmácia (p.ex. alemão Apotheke); passou-se a ‘loja’ (p.ex. francês boutique); e passou-se a ‘armazém de bebidas’ e ‘armazém duma nave’ (p. ex. português adega). Para explicar as distintas formas, cumpre partir de duas soluções, a primeira a mais conservadora com a forma apoteca, e a segunda mais evoluída e com traços claramente românicos *abodega, que explica tanto adega quanto bodega. Contudo, existem algumas intermédias como *aboteca e *abotega. Portanto, há formas primitivas para todos os gostos.